Economia das Organizações é tema de debate na FEA

Por Pedro Ferreira

 

A FEA promoveu no dia 26 de maio o evento online Perspectivas da Economia das Organizações no Cenário Pós-Pandemia. Com 4 mesas de discussões apresentadas no programa de videoconferências Zoom, a iniciativa reuniu membros da FEA e convidados que trouxeram diversos pontos sobre os estudos da Economia das Organizações.

 

A abertura dos trabalhos teve a participação de Moacir de Miranda Oliveira Júnior, chefe do Departamento de Administração; Eduardo Kazuo e Felipe Borini, coordenador e vice-coordenador, respectivamente, do Programa de Pós-Graduação em Administração, e Paula Schnaider, líder da área de Economia das Organizações na FEA. Miranda exaltou a iniciativa do evento e definiu as pesquisas das universidades como essenciais no combate ao negacionismo científico. 

 

Os professores Decio Zylbersztajn e Maria Sylvia Saes, junto ao ex-COO do iFood David Kato, discutiram as novas formas de organização das cadeias de valor na primeira mesa do evento. Zylbersztajn apresentou a história da Economia das Organizações na FEA e sua evolução desde a Teoria da Firma. Ele apontou diferenças percebidas por alunos entre a teoria e a prática das empresas e definiu o conceito de organização como “uma série de atores especializados que cooperam para gerar valor”. 

 

Em seguida, a segunda mesa discutiu as tendências do uso da inteligência artificial no contexto pós-pandemia. Estavam presentes Alexandre Del Rey, sócio-fundador da I2AI; Leonardo Santos, CEO da Semantix, e Renata Spers, professora da FEA. Del Rey apresentou as previsões de pesquisas e soluções tecnológicas para o futuro pós-pandêmico e o papel da inteligência artificial para aumentar receitas e reduzir custos empresariais.

 

A mesa “Tendências para o varejo: estudos e pesquisas” contou com a participação de Mário Duarte, doutor da Universidade de Aveiro; Marcos Luppe, Nuno Martins e Daniel Bergmann, professores da FEA. Luppe afirmou que o varejo é uma das áreas mais afetadas com as novas tecnologias e que a pandemia acelerou ainda mais o crescimento do m-commerce, o que fez com que a adoção de estratégias mobile first se tornassem essenciais.

 

A última mesa do evento discutiu os impactos de variáveis externas à empresa sobre sua respectiva estratégia. Os participantes foram Nelson Marconi, professor da FGV; Antonio Lacerda, presidente do Conselho Federal de Economia, e Paulo Feldmann, professor da FEA. Marconi apresentou um panorama histórico sobre o desenvolvimento econômico brasileiro e criticou as “políticas macroeconômicas mal estruturadas e que estão falhando em oferecer crescimento econômico de curto prazo”.

 

Lacerda também fez críticas à gestão do governo e afirmou que a pandemia agravou ainda mais problemas estruturais, como a insegurança alimentar e o acesso a saneamento básico. Ele também apontou a estagnação industrial no Brasil e como a produção não acompanhou o crescimento do consumo, o que aumentou a demanda das importações.

 

O evento foi encerrado com uma última fala do Prof. Paulo Feldmann, que agradeceu aos convidados e organizadores da conferência.

 

 



 

Data do Conteúdo: 
Quarta-feira, 9 Junho, 2021

Departamento:

Sugira uma notícia