Disciplinas

Poder, Cultura e Gestão de Mudanças em Organizações


Disciplina: EAD5851-8

Área de Concentração: 12139

Número de Créditos: 8

Carga do curso:

Teórico
(Por semana)
Prática
(Por semana)
Estudos
(Por semana)
DuraçãoTotal
42215120
Objetivos:
Propiciar ao aluno o arcabouço teórico-conceitual e metodológico para compreensão dos temas da disciplina.
Analisar a influência dos padrões culturais, políticos e comportamentais sobre os processos de mudança e de desenvolvimento organizacional.
Capacitar o aluno em métodos e procedimentos de diagnóstico, intervenção e gestão dos padrões culturais e políticos das organizações.

Justificativa:
A identificação e compreensão da influência dos padrões culturais e políticos prevalentes no ambiente organizacional são essenciais ao aperfeiçoamento da gestão e ao processo de desenvolvimento contínuo da organização.
Através de abordagem multidisciplinar o curso enfatiza a precisão conceitual, o rigor metodológico e as perspectivas de aplicação prática de conhecimentos sobre cultura organizacional para a Administração.

Conteúdo:
• Evolução da Produção do Conhecimento sobre os Temas da Disciplina
• Aspectos Metodológicos do Ensino e Pesquisa sobre Poder e Cultura Organizacional
• Aspectos Metodológicos do Diagnóstico, da Intervenção e da Gestão da Mudança e do Desenvolvimento Organizacional.
• O Desvendar dos Padrões Culturais e das Redes de Poder Prevalentes em Organizações.
• Padrões Culturais e Políticos em Processos de Mudança e Transformação Organizacional.
• Modelagem dos Processos de Mudança e Transformação: Contextualização, Auscultação, Disseminação e Sustentação.
• Cultura de Responsabilidade e de Sustentabilidade no Aperfeiçoamento Continuo das Organizações.

Avaliation methods:
Prova individual de aferição do emprego da bibliografia.
Trabalho em grupo com pesquisa de campo.
Estudos de Caso para debates em painel.
Exercícios de aplic

Notas:

Bibliografia:
1. AIDAR, M. M.; BRISOLA, A. B.; MOTTA, F. C. P.; WOOD, T. J. Cultura Organizacional Brasileira. In. WOOD, Thomaz Jr. Mudança Organizacional. São Paulo. Atlas, 2004
2. AKTOUF, O. O Simbolismo e a Cultura de Empresa: Dos abusos conceituais às lições empíricas. In: CHANLAT, F.J.(Coord.).O indivíduo na Organização. Vol. II. São Paulo, Atlas,1994
3. BERGER, P. L.; LUCKMANN, T. Cap. I: “Os Fundamentos do Conhecimento na Vida Cotidiana” . In. BERGER, P. L.; LUCKMANN, T. A construção social da realidade: tratado de sociologia do conhecimento. 19 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000
4. BEYER, J. M. & TRICE, H. M. How an Organization’s Rites revel its Culture. In: Organizational Dynamics, V. 15 (4), p.5-24, 1987
5. CALDAS, M.; WOOD, J. T. Para Inglês Ver: Importação de Tecnologia Gerencial no Brasil. In. CALDAS, M.; WOOD, J. T. Transformação e Realidade Organizacional-Uma perspectiva Brasileira. São Paulo: Atlas, 1999
6. CALDAS,M. Conceptualizing Brazilian Multiple and fluid cultural profiles. In: Management Research, vol.4, N. 3, 2006
7. COX, T., Jr. Cultural Diversity in Organizations: Theory, Research & Practice. San Francisco, CA: Berrett-Koehler, 1993
8. DUNCAN, W. J.. A proposal for a multimethod approach to organizational culture research. Graduate School of Management. University of Alabama: Birminghan, 1986
9. DURHAN, Eunice. Cultura e ideologia. Dados - Revista de Ciências Sociais, Rio de Janeiro, v. 27, n. 1, p. 71-89, 1984
10. FISCHER, R.M. A modernidade de gestão em tempos de cólera. Revista de Administração de Empresas. São Paulo, v. 27, n. 4, p. 56-64, out./dez., 1992
11. FISCHER, R. M. Mudança e Transformação Organizacional. In: FLEURY, M.T.L (coord). As pessoas na Organização. São Paulo: Editora Gente, 2002
12. FLEURY, M. T. L. e FISCHER, R. M. Cultura e Poder nas organizações. São Paulo: Atlas, 2009
13. FLEURY, M. T. L. Gerenciando a diversidade cultural: experiências de empresas brasileiras. In: Revista de Administração de Empresas, São Paulo, V.40, N.3, 2000
14. FLEURY, M. T. L. e OLIVEIRA, M.M. Jr. Aprendizagem e gestão do conhecimento. In: FLEURY, M.T.L (coord.). As pessoas na Organização. São Paulo: Editora Gente, 2002, p.133-146
15. FLEURY, M. F.. Organizational Culture and the Renewal of Competences. BAR, Curitiba, v. 6, n. 1, art. 1, p. 1-14, jan-marc. 2009
16. FLEURY, M. T. L; SHINYASHIKI, G.; STEVANATO, L. A. Entre a antropologia e a psicanálise: 3 dilemas metodológicos dos estudos sobre cultura organizacional. In: Revista de Administração da USP. São Paulo, V. 32, N. 1, janeiro/março 1997
17. FOUCAULT, M. Cap. I – O Corpo dos Condenados In: FOUCAULT, M. Vigiar e Punir: nascimento da prisão. Petrópolis: Vozes, 1983
18. FOUCAULT, M. Introdução (p.VII-XXIII) e Cap. 8. Sobre a Prisão (p.129-143). FOUCAULT, M. Microfísica do Poder. Rio de Janeiro: Graal, 1979
19. FOUCAULT, M. Las meninas. In: FOUCAULT, M. As palavras e as coisas. São Paulo: Martins Fontes, 2000
20. FREITAS, M.E.. Cultura organizacional: formação, tipologias e impacto. São Paulo: McGraw-Hill, 1991
21. FREITAS, M.E. Cultura organizacional: evolução e crítica. São Paulo: Thomson Learning, 2007
22. FREITAS, M.E. O imperativo intercultural na vida e na gestão contemporânea. In: Revista Organização e Sociedade, v. 15, n. 45, abril/junho - 2008
23. FREITAS, Maria Ester de; DANTAS, Marcelo. O estrangeiro e o novo grupo. Rev. Adm. Empresas, São Paulo, v. 51, n. 6, Dec. 2011
24. GALBRAITH, K. J. A anatomia do Poder. São Paulo. Pioneira, 1983
25. HOFSTEDE, G. Cultures and Organizations: Software of the Mind. 2 ed. New York: Mc Graw Hill, 1997
26. LERING,K. El all. Culture and International Business – recent advance. In: JIBS, 36, 2005
27. MAQUIAVEL, Nicolau. O príncipe. São Paulo: Cultrix, 1980
28. MATURANA, H. e VARELA, J. A Árvore do Conhecimento: As bases biológicas da Compreensão Humana. Palas Athena, 2003 (p.21-36)
29. MORGAN, G. Imagens da Organização. São Paulo: Atlas, 1996
30. MOTTA, P. C. F. Cultura Nacional e Cultura Organizacional. In: DAVEL, E.; VASCONCELLOS, J(Org.). Recursos Humanos e Subjetividade. Petrópolis. RJ. Vozes, 1995
31. MOTTA, P.C.F. e ALCADIPANI, R.. O pensamento de Michel Foucault na Teoria das Organizações. R.Adm.,São Paulo, v. 39, n.2, 2004
32. PAGÈS, M.; BONETTI, M. “A Despersonalização das Relações de Poder”. In: PAGÈS, M.; BONETTI, M.; et al. O poder das organizações: a dominação das multinacionais sobre o indivíduos. São Paulo: Atlas, 1987 (p. 65-71)
33. PAGÈS, M.; BONETTI, M. “A Organização como Sistema”. In: PAGÈS, M.; BONETTI, M.; et al. O poder das organizações: a dominação das multinacionais sobre o indivíduos. São Paulo: Atlas, 1987 (p. 31-35)
34. PAGÈS, M.; BONETTI, M. “As Mudanças”. In: PAGÈS, M.; BONETTI, M.; et al. O poder das organizações: a dominação das multinacionais sobre o indivíduos. São Paulo: Atlas, 1987 (p. 122)
35. PESQUEUX, Y. Culturas, culturalismo e globalização. In: CHANLAT, J.F., FACHIN, R. E FISCHER T. (organizadores). Análise das organizações: perspectivas latinas: volume 2: poder, cultura, subjetividade e vida simbólica. Porto Alegre: Ed. da UFRGS, 2007
36. PETTIGREW, A. The awakening giant: Continuity and change. In: ICI. Oxford: Basil Blackwell, 1985, (cap. 1)
37. PETTIGREW, A.; FENTON, E.M. The Innovating Organization. Londres: Sage Publications, 2000 (cap. 1, 2, 3, 5, 8 e 10)
38. PETTIGREW, A. M. Contextualist research: a natural way to link theory and practice. In: LAWER III, Edward E.; MOHRMAN, Allan M.; et al (eds.). Doing research that is useful in theory and practice. San Francisco: Jossey Bass, 1985
39. SCHEIN, E. H. Coming to a New Awareness of Organizational Culture. Sloan Management Review, v. 25, n. 2, p. 6-13, 1984
40. SCHEIN, H. E. Legitimating Clinical Research in the Study of Organizational Culture. In: Journal of Counselling & Development, V. 71, July/August 1993

GESTÃO DE MUDANÇA
41. ARGYRIS, C., SCHON, D. A. A framework for organizational In: ARGYRIS, C.; SCHON, D.A. Organizational Learning a theory of action perspective. Addison Wesley Publishing Company, 1978
42. ARGYRIS, C.. Ensinando pessoas inteligentes a aprender. In: Harvard Business Press, Gestão do Conhecimento. Rio de Janeiro: Campus, 2001
43. ARGYRIS, C.. The CEO´s behavior: Key to organizational development. In: Harvard Business Review, January-February, 1973
44. BEER, M. & EISENSTAT, R. A . & SPECTOR, B.. Why change programs don´t produce change.. In: Harvard Business Review, January-February, 1990
45. BENNIS, W. G. & SCHEIN, E. H.. Personal and organizational change through group methods. New York: John Wiley & Sons, 1965
46. BENNIS, WARREN. Tornando-se um líder de líderes. In: : Gibson, Rowan (ed.). Repensando o futuro. São Paulo: Makron Books, 1998
47. CHAPMAN, J. A .. A framework for transformational change in organizations. In: Leadership & Organization Development Journal; 23, 1/2; ABI/INFORM Global, 2002
48. CHARAN, R.. O uso de redes para redefinir as organizações e obter resultados. In: Avanço rápido. Rio de Janeiro: Campus, 1997
49. COHEN, S. G.. (1995). A nova organização por equipes e o trabalho de equipe. In: Galbraith, J. R. Lawler III, E. E. & associados. Organizando para competir no futuro: Estratégia para gerenciar o futuro das organizações. São Paulo: Makron, 1995
50. COLLINS, J. C. & PORRAS, J. I.. Construindo a visão da empresa. In: Mudança. HBR. Rio de Janeiro: Campus, 2000
51. DRUCKER, P. F.. A Century of social transformation. In: Managing in a time of great change. New York: Pengüin Books, 1995
52. DUCK, J. D.. Gerenciando a mudança: A arte do equilíbrio. In: Mudança. HBR. Rio de Janeiro: Campus, 2000
53. EMERY, F. E. & TRIST, E. L.. Towards a social ecology: Contextual appreciation of the Future in the Present. London, New York: Plenun Press, 1973
54. FISCHER, R. M. & BATAGLIA, W.. School-Student Communication: A Study of Cultural Aspects in the Organizational Change. In: BALAS - THE BUSINESS ASSOCIATION OF LATIN AMERICAN STUDIES. Designing the 21st century Latin America Organization, San Diego, 2001
55. FISCHER, R. M.. A Modernidade de Gestão em Tempos de Cólera. In: Revista de Administração, São Paulo, V.27. Outubro/Dezembro, 1992
56. FISCHER, R. M.. Mudança e transformação organizacional. In: FLEURY, M.T.L. (coord.) As pessoas na organização. São Paulo: Gente, 2002
57. FISCHER, R. M.. Desafios à Competência Gerencial. Texto desenvolvido para apoio a aulas no pós-graduação da FEA-USP, na disciplina de Mudança Organizacional
58. GALBRAITH, J. R. & LAWLER III, E. E.. Desafios à ordem estabelecida. In: Galbraith, J.R.; Lawler III, E. E. & associados. Organizando para competir no futuro: Estratégia para gerenciar o futuro das organizações. São Paulo: Makron, 1995 (p. XIX-XXIX)
59. GALBRAITH, J. R.. A unidade de negócios do futuro. In: Galbraith, J.R.; Lawler III, E. E. & associados. Organizando para competir no futuro: Estratégia para gerenciar o futuro das organizações. São Paulo: Makron, 1995 (p. 29-48)
60. GARVIN, D. A .. Construção da organização que aprende. In: Gestão do Conhecimento. HBR. Rio de Janeiro: Campus, 2001
61. GEUS, ARIE DE. A empresa viva: como as organizações podem aprender a prosperar e se perpetuar. Rio de Janeiro: Campos, 1998
62. HAMEL G.. Como uma gangue de rebeldes inverossímeis transformou a Big Blue. In: A virada nas empresas. HBR. Rio de Janeiro: Campus, 2002
63. HAMMER, M.. Reengineering the corporation. New York: Harper Business, 1993
64. HANDY, CHARLES. Encontrando sentido na incerteza. In: Gibson, Rowan (ed.). Repensando o futuro. São Paulo: Makron Books,1998
65. KANTER, R. M.. A nova atividade gerencial. In: Avanço rápido. Rio de Janeiro: Campus, 1997
66. KILMAN, R. H.. A completely integrated program for organizational change. In: Mohrman et al. Large-scale organizational change. 3rd Edition. San Francisco: Jossey-Bass Publishers, 1991
67. KOTNOUR, T. & MATKOVICH, J. & ELLISON, R.. Establishing a change infrastructure through teams. In: Engineering Management Journal; Sep; 11, 3; ABI/INFORM Global, 1999
68. KOTTER, J. & COHEN, D. S.. O coração da mudança: Transformando empresas com a força das emoções. Rio de Janeiro: Campus, 2002
69. KOTTER, J.. Liderando a mudança. Rio de Janeiro: Campus, 1997
70. KOTTER, J.. Afinal, o que fazem os líderes. Rio de Janeiro: Campus, 2000
71. KOTTER, J.. Culturas e Coalizões. In: Gibson, Rowan (ed.). Repensando o futuro. São Paulo: Makron Books, 1998
72. KOTTER, J. e SCHLESING, L.A.. Choosing strategies for change. In: Harvard Business Review. July_August, 2008
73. LAWLER III, E. E. & GALBRAITH, J. R.. Novo papel da função de staff: Suporte estratégico e serviço. In: Galbraith, J. R. Lawler III, E. E. & associados (1995). Organizando para competir no futuro: Estratégia para gerenciar o futuro das organizações. São Paulo: Makron, 1995
74. LAWLER III, E. E.. Strategic choices for changing organizations. In: Mohrman at al. Large-scale organizational change. 3rd Edition. San Francisco: Jossey-Bass Publishers, 1991
75. LAWLER III, E. E.. Criando a organização de alto desempenho. In: Galbraith, J. R. & Lawler III, E. E. & associados. Organizando para competir no futuro: Estratégia para gerenciar o futuro das organizações. São Paulo: Makron, 1995
76. LAWRENCE, P. R.. Why organizations change. In: Mohrman at al. (1991). Large-scale organizational change. 3rd Edition. San Francisco: Jossey-Bass Publishers, 1991
77. LEDFORD JR, G. E. & MOHRMAN, S. A . & MOHRMAN, A . M. & LAWLER III, E. E.. The phenomenon of large-scale organizational change. In: Mohrman at al. (1991). Large-scale organizational change. 3rd Edition. San Francisco: Jossey-Bass Publishers, 1991
78. LEDFORD JR, G. E.. Envolvimento empregatício: Lições e prognósticos. In: Galbraith, J. R. Lawler III, E. E. & associados. Organizando para competir no futuro: Estratégia para gerenciar o futuro das organizações. São Paulo: Makron, 1995
79. LEEMANN, J. E.. Applying Interactive Planning at DuPont: The Case of Transforming a Safety, Health... In: Systemic Practice and Action Research; Apr; 15, 2; ABI/INFORM Global, 2002
80. MANNHEIM, K.. Ideologia e Utopia. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1968
81. MAYO, E.. Problemas humanos de uma civilização industrial. Buenos Aires: Nueva Vision, 1959
82. MINTZBERG, H.. Criando organizações eficazes: Estruturas em cinco configurações. São Paulo: Atlas, 1995
83. MINTZBERG, H.. Rebuilding companies as comunities. In: Harvard Business Review, 2009
84. MOHRMAN, S. A . & MOHRMAN JR, A . M.. The environment as an agent of change. In: In: Mohrman et al.. Large-scale organizational change. 3rd Edition. San Francisco: Jossey-Bass Publishers, 1991
85. MOHRMAN, S. A . & MOHRMAN JR, A . M.. Mudanças organizacionais e aprendizado. In: Galbraith, J. R. Lawler III, E. E. & associados. Organizando para competir no futuro: Estratégia para gerenciar o futuro das organizações. São Paulo: Makron, 1995
86. MOHRMAN, S. A .. Integrando funções e estrutura em uma organização horizontal. In: Galbraith, J. R. Lawler III, E. E. & associados. Organizando para competir no futuro: Estratégia para gerenciar o futuro das organizações. São Paulo: Makron, 1995
87. MOTTA, P. R.. Transformação Organizacional: a teoria e prática de inovar. Rio de Janeiro: QualitMark Ed., 1997
88. NUTT, P. C. & BACKOFF, R. W.. Facilitating transformational change. In: The Journal of Applied Behavioral Science; Dec 1997; 33, 4; ABI/INFORM Global, 1997
89. PETTIGREW, A. M. & FENTON, E. M. The Innovating Organization. SAGE Publications: London, 2000
90. PETTIGREW, A. M. The management of strategic change. England: Blackwell Publishers, 1986
91. SCHAFFER, R. H. & THOMSON, H. A .. Successful change programs begin with results. In: Harvard Business Review, January-February, 1992
92. SCHEIN, E. H.. Consultoria de procedimentos: Seu papel no Desenvolvimento organizacional. São Paulo: Edgard Blucher, 1977
93. SENGE, P. M. A quinta disciplina. São Paulo : Best Seller, 1990
94. SENGE, P., KLEINER, A., ROBERTS C., et al, A Dança das Mudanças – os desafios de manter o crescimento e o sucesso em organizações que aprendem. Rio de Janeiro: Campus, 1999
95. SENNETT, R.. A corrosão do caráter: Consequências pessoais do trabalho no novo capitalismo. Rio de Janeiro: Record, 1999
96. SILVA, José Roberto Gomes da e VERGARA, Sylvia Constant. Sentimentos, subjetividade e supostas resistências à mudança organizacional. In: Rev. Adm. empresas.[online]. 2003, vol.43, n.3
97. TEERLINK, R.. A reviravolta da Harley. In: HBP, A virada nas empresas. Rio de Janeiro: Campus, 2002