Recepção aos calouros incluiu 74 estudantes estrangeiros

Seguindo as atividades de recepção aos novos alunos, a Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP deu as boas-vindas aos intercambistas estrangeiros, que vieram de diferentes partes do mundo. Ao todo, são 74 estudantes que estudarão na FEAUSP por pelo menos um semestre letivo. No grupo, estão franceses, chilenos, alemães, holandeses, italianos, entre outras nacionalidades. Os recém-chegados iniciam as aulas juntamente com os alunos da FEA, no dia 26 de fevereiro.

A professora Kavita Hamza, coordenadora de Cooperação Internacional da FEA (CCInt), foi a responsável pela organização da recepção aos intercambistas, ocorrida no último dia 22 de fevereiro. Os estrangeiros visitaram as instalações da Faculdade (foto) e receberam informações e orientações não apenas sobre o funcionamento da FEA, mas sobre a Universidade como um todo, e até sobre a cidade de São Paulo.

Kavita explicou como funciona a recepção: “Realizamos este evento a cada início de semestre para fornecer todas as orientações necessárias. Na parte da manhã, damos informações sobre os cursos, quais são as regras no que diz respeito à frequência e nota mínima. Explicamos também quais são os serviços a que eles têm direito na Universidade, como o transporte coletivo -- o Busp (Bilhete USP) – e como funciona o bandejão”.

Os estrangeiros também se inteiraram a respeito da matrícula das disciplinas. Durante a primeira semana eles poderão assistir a diferentes aulas para selecionar quais são as de maior interesse, e na semana seguinte efetuar a matrícula. A coordenadora da CCInt informou que 15% das aulas da graduação são em inglês e 30% em português. Nas disciplinas oferecidas pela FEA no idioma inglês, os intercambistas têm prioridade, ou seja, 40% das vagas são reservadas para eles.

Kavita ressaltou que muitos estrangeiros aproveitam a oportunidade para realizar estágio enquanto estão no Brasil e que isso não é comum lá fora. “Várias empresas brasileiras valorizam muito os intercambistas, porque são fluentes em suas línguas nativas, o que ajuda muito em determinadas áreas, e ao mesmo tempo falam o português e estão oficialmente registrados numa Universidade”, disse.

Wilton Oliveira, da CCInt, disse que a Coordenação de Cooperação Internacional existe na FEA desde 1987, quando nem se falava em intercâmbio com universidades estrangeiras. “A FEA foi pioneira. Não havia essa tradição internacional na USP”. Segundo ele, esse tipo de recepção dos intercambistas foi instituída a partir de 2002. “As CCInt das universidades estrangeiras com as quais mantemos convênio se reúnem uma vez ao ano. Então, existe um padrão que nós seguimos, e a recepção aos alunos faz parte da regra”. Outro pioneirismo da FEA foi oferecer disciplinas em inglês. “Até a prova, quando o aluno não se sente confiante, ele pode realizar em inglês”.  

Os alunos estrangeiros declararam que, além do interesse pelas atividades acadêmicas, a cultura e o clima brasileiros também pesaram na hora de optar pelo intercâmbio. A italiana Mariachiara Marena destacou: “Eu sempre sonhei em ver o Brasil, porque acho que é um lugar incrível, as pessoas são muito amigáveis e eu pude sentir isso quando cheguei. Todos muito disponíveis, querendo ajudar. É um lugar incrível para se viver”.

O ambiente festivo foi outra característica apontada por Johnny Tran, que veio de Hong Kong para estudar economia. “Vim pro Brasil no meio de janeiro, passei o Carnaval aqui em São Paulo e eu realmente gostei. Experimentei as comidas típicas, são deliciosas. Adorei pão de queijo! Tô curtindo muito o Brasil, São Paulo e a USP”.

Os franceses Daniel Carvalho e Kevin Oumar, ambos vindos de Paris, optaram pela oportunidade de aliar as viagens e as festas do país com os estudos e disseram que “a USP é uma das melhores universidades da América Latina, por isso escolhemos vir para cá. Estamos esperando ter a melhor experiência de nossas vidas”.

O tamanho do campus também impressionou a francesa Eva, oriunda de Nice. “É muito grande! (risos) É muito diferente de onde nós viemos. Nunca vi uma universidade deste tamanho”.

 

Autoria: Bruna Arimathea e Ingrid Luísa

Data do Conteúdo: 
sexta-feira, 23 Fevereiro, 2018

Departamento:

Sugira uma notícia