Palestra aponta os grandes desafios para a qualidade de vida na terceira idade

A série de palestras do programa Universidade aberta à terceira idade atraiu idosos para a apresentação sobre gestão pessoal da qualidade de vida, na última terça-feira.

Rodrigo Dias Gomes

Grupo terceira idadeA série de palestras do programa Universidade aberta à terceira idade atraiu idosos para a apresentação sobre gestão pessoal da qualidade de vida, na última terça-feira. Em um debate com grande participação do público, a palestrante Ana Cristina Limongi-França, psicóloga e professora do departamento de administração da FEA, trouxe questões importantes para os representantes da chamada senioridade.

O tema vem ganhando destaque no país, com o crescimento da expectativa de vida. Portanto, é necessário todo o cuidado com alimentação e saúde, mas também com a vida social - o idoso não pode ser marginalizado na sociedade. Para Ana Cristina, a desvalorização da terceira idade muitas vezes parte do próprio idoso.

Segundo ela, é necessário um equilíbrio entre quatro grandes fatores: biológico, psicológico, social e organizacional, um instrumento denominado BPSO. Faz parte desse equilíbrio manter uma boa alimentação, ter reconhecimento e prazer nas atividades realizadas. Isso é fundamental para evitar males recorrentes na terceira idade, como o isolamento e a dependência de terceiros, geralmente filhos e netos.

A palestrante ainda explicou a diferença entre os tipos de stress, outro mal que acompanha não só os idosos, mas pessoas de todas as idades. O stress não desejado é causado por pouco esforço, ou monotonia (que atinge idosos em geral), e também por muito esforço, ou sobrecarga. A esse tipo de stress é dado o nome de distress, e ele está associado a algumas doenças e transtornos nervosos, como depressão e a síndrome do pânico. Existe, no entanto, o eustress, quando a tensão no corpo atinge níveis intermediários, e onde ocorre o melhor desempenho em atividades e outros tipos de interação.

Autonomia é o maior objetivo dos idosos

A palestra contou com uma discussão sobre qual o grande desafio para a geração da terceira idade. Para a maioria dos idosos presentes, além de manter a saúde e a boa forma física, é importante lutar contra o isolamento e não depender de outros para sobreviver. "Algumas pessoas nos olham com outra cara. Precisamos mostrar que somos capazes de viver bem", conta Rosa Simone, de 70 anos.

Além de assistir à apresentação, os idosos tiveram a oportunidade de conhecer outras pessoas na mesma situação, e trocar experiências. A palestrante indicou que cultivar amizades nessa fase da vida é fundamental, tão importante quanto a exigência com hábitos saudáveis. A prática de esportes é outra recomendação para a boa qualidade de vida de idosos. A aposentada Eiko, ex-aluna da FEA, pratica esportes regularmente no CEPEUSP, e, mesmo aos 64 anos, diz: "Algumas pessoas não conseguem me acompanhar".

O clima da apresentação foi de total descontração, com músicas e pequenas atividades em duplas. Todos contaram suas experiências e anseios para a senioridade. "A liberdade de fazer o que a gente quer é a grande dádiva dessa parte da vida", conta Walter, de 67 anos. A mensagem pode ser entendida como grande lição para todos os idosos.


Data do Conteúdo: 
quarta-feira, 6 Junho, 2012

Departamento:

Sugira uma notícia