FEA Funcionários - Time ganha reforços para enfrentar desafios

Empenhada em reforçar o time, a FEA está investindo em recursos humanos, trazendo profissionais experientes de outras áreas da USP e completando o quadro de funcionários.

    Não são poucos os desafios que a FEA tem pela frente com os novos projetos que estão na pauta. Além do volume de trabalho envolvido, novas competências se fizeram necessárias para dar conta de aspectos diversificados como modernização, expansão, manutenção e aprimoramento da qualidade.

    Empenhada em reforçar o time, a FEA está investindo em recursos humanos, trazendo profissionais experientes de outras áreas da USP e completando o quadro de funcionários. Segundo o professor Carlos Azzoni, trazer novos funcionários não é uma tarefa simples e envolve muita negociação. “Para nossa alegria, a FEA é um lugar em que as pessoas gostam de trabalhar. Isso facilita o processo”, diz ele.

    O grande desafio é o projeto de expansão e modernização da biblioteca, que vai demandar tempo e dedicação extra. “Nós vamos desenvolver uma campanha de captação de recursos entre alunos, ex-alunos e pessoas jurídicas. Além de não ser muito familiar à nossa rotina, essa captação exigirá controle, transparência e competências específicas.  Outro projeto importante é a questão da segurança do espaço da Faculdade, que também requer soluções. É muito trabalho”, explica o professor Azzoni.

    A primeira conquista foi a transferência no início do ano de Milena de Souza Neves, analista de comunicação lotada na Reitoria, para a área de Comunicação e Desenvolvimento.

    Antes de participar do processo seletivo realizado em 2006 que lhe garantiu a vaga, ela já havia trabalhado como prestadora de serviço na FEA. Depois de dois anos na Reitoria, Milena voltou “para casa”. 

    Nessa movimentação administrativa, Mary Francis Lopes de Godoy assumiu em setembro a assistência técnica da Diretoria da faculdade trazendo sua experiência de 26 anos nas áreas administrativa e financeira da USP. Para atender a demanda da Seção Técnica de Informática (STI) da FEA, foi convocado Luiz Eduardo Iadocicco, que trabalhava no Centro de Computação Eletrônica da USP. 

    Dois novos funcionários concursados – Pablo Alfonso e Daniel Moacir Igardi – foram alocados na Seção de Alunos, complementando o quadro. Para reforçar a equipe da Biblioteca chegou, em junho, Tânia Nogueira Martinez, auxiliar de documentação e informação. Na portaria também tem gente nova: após trabalhar seis anos na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Florivaldo Simões foi transferido para a FEA. Simões, como é conhecido, é desde julho o novo vigia do período de 14h a 23h. E à frente do FEA+, o novo gestor Fábio Alessandro Affonso Antonio (ver abaixo) já está em ação, dando continuidade ao trabalho iniciado por Wagner Cassimiro, que assumiu novos projetos da FEA. 

    “Vim para somar e trabalhar muito porque a FEA está em obras”, enfatiza Mary Francis Godoy, animada com a perspectiva de colocar em ação sua experiência como “tocadora de obras”. Seguindo uma tendência da USP, seu papel será o de integrar as frentes administrativa e financeira da Diretoria, desenvolvendo projetos, negociando contratos e gerenciando os recursos sempre insuficientes diante das necessidades. Por essa razão, uma das suas metas é promover a chamada “economia orçamentária”, isto é, gerar economia para investimentos.

    A lista de obras não assusta Mary, a começar pelo projeto de modernização e expansão da biblioteca. Até a aprovação total prevista para o final do ano, muita coisa está para acontecer. Além da reforma do telhado já em andamento, estão sendo finalizados os projetos de reforma do auditório (infra-estrutura, piso, rede, ar condicionado, etc.); dos novos laboratórios do FEA 5, que receberão as máquinas atualmente no FEA 1; das quatro novas salas de aula do FEA 1, que ocuparão o espaço do laboratório; e do foyer, espaço para eventos junto ao auditório.

INFORMÁTICA

    Na STI, o primeiro grande desafio do novo gestor Luiz Eduardo Iadocicco é melhorar os serviços de rede utilizando a capacidade total do link disponibilizado pelo CCE. “A nossa prioridade foi implementar o backbone e dotar os links com a velocidade de um giga. Essas funções são necessárias para o desenvolvimento do projeto VOIP, comunicação de voz em tempo real que não pode apresentar delay”, explica Luiz Eduardo. 

    A área prepara também o projeto de rede wireless para todo o ambiente. Atualmente, só há três pontos de acesso: FEA 1, FEA 5 e Biblioteca. Serão 19 pontos e dois sistemas de acesso: um pelo cadastro da USP (USP Net) e outros pelo FEA Net, que atenderá a comunidade que freqüenta a faculdade, formada por pesquisadores e funcionários de fundações e institutos. “Visitantes e participantes de eventos também poderão solicitar login à rede wireless. Nós mesmos vamos gerenciar esses acessos por tempo determinado”, acrescenta Luiz Eduardo.

    A Vivência, centro de integração dos alunos recém-instalado no antigo Instituto de Ciências Biomédicas, ao lado do FEA 5, também já está integrado à rede e conta com ponto de acesso wireless, projeto preparado pelo STI. Os novos laboratórios que serão unificados no terceiro andar do FEA 5 serão integrados à rede e terão acesso WI. Para o projeto VOIP, será necessária a substituição das antigas conexões tipo Hub por switches e instalação de no-breaks e geradores que garantam o abastecimento de energia.

    Para facilitar a vida de todos, a homepage do STI apresenta informações sobre os projetos e a equipe, normas, chamadas técnicas, formulários para solicitações (reserva de sala, e-mails, etc.), lista de telefone da FEA e tutoriais com orientações sobre uso das ferramentas.

FEA+: SOB NOVA DIREÇÃO

    Formado em Administração pela FEA, Fábio Alessandro Affonso Antonio soube da vaga de gestor do FEA + por amigos. Sabia do programa, mas ao tomar conhecimento dos objetivos e das atividades não teve dúvidas em se candidatar e aceitar. “Tem tudo ver com meu perfil. Por meio do meu trabalho, vou ter a oportunidade de devolver o que adquiri na FEA e de ficar próximo da área acadêmica, que faz parte dos meus projetos”, explica Fábio.

    No planejamento para 2009, as diretrizes vão buscar a retomada do foco nos ex-alunos e o aprimoramento dos processos. A campanha de captação de recursos para o projeto de modernização e expansão da blblioteca é o grande desafio.

    “Ao longo desses três anos, o FEA + abriu muitas frentes. Foi um ciclo. Vamos fortalecer o relacionamento com os exalunos procurando atraí-los para atividades acadêmicas como palestras e convidando-os para integrar a networking. Eles podem participar e contribuir muito”, adianta Fábio.

Data do Conteúdo: 
quarta-feira, 1 Outubro, 2008

Departamento:

Sugira uma notícia