Professor Williamson encerra passagem na FEAUSP com seminário acadêmico

Panorama de desigualdade social latino-americana é tema central da apresentação

Nesta sexta-feira, o professor convidado à FEAUSP, Jeffrey Williamson, concluiu seu mini curso com um seminário acadêmico intitulado Five centuries of latin american inequality. Segundo o professor Williamson, a motivação para a pesquisa veio da falsa crença histórica de que a desigualdade econômica sempre foi algo presente no cerne das sociedades latino americanas. Ainda segundo o professor, este pensamento implica menor responsabilidade a políticas modernas direcionadas a esta área.

O paper do professor Williamson busca quebrar este mito, mostrando que a desigualdade na América Latina, nos níveis observados historicamente, não foram sempre presentes, muito pelo contrário, os níveis de desigualdade latino americanas foram crescendo cada vez mais após a presença europeia e as tentativas de colonização.

Antes de 1790, não havia nenhuma espécie de registro de desigualdade na América Latina. O professor Williamson utiliza um método de “social tables”, que funciona basicamente como uma tabela na qual são colocadas as diversas classes sociais, além de PIB per capta entre outras informações. A partir daí, o professor tece paralelos entre as sociedades latino americanas pré 1790 e outras sociedades em diversas épocas e situações econômicas diferentes.

Outro conceito apresentado pelo professor foi o de “extraction rate”, que consiste em um valor que analise a desigualdade e o quanto aquela sociedade poderia aguentar de desigualdade causada pelas elites ou governos, antes que entrasse em colapso. O professor apresentou números que indicam que esta Extraction rate vem diminuindo na América Latina, apesar da desigualdade continuar aumentando.

O professor Williamson concluiu apresentando um gráfico relacionando o índice Gini da América Latina de cada ano, fazendo uma perspectiva desde anos pré 1791 até o século XX. O gráfico reforça a teoria do professor, a desigualdade na América Latina vem crescendo cada vez mais, desmentindo o argumento de uma tradição histórica de desigualdade. Os níveis de desigualdade pré 1791, sempre estimados, eram muito menores do que os níveis que vieram após a colonização. Desde lá, apenas um momento apresenta queda nos índices Gini, durante o período de descolonização da América Latina, fora este período, os índices vêm subindo cada vez, ininterruptamente.

Data do Conteúdo: 
sexta-feira, 23 Outubro, 2009

Departamento:

Sugira uma notícia