Doutorado - Não é só um jogo: futebol como canal para a violência

Tipo de evento: 
Defesa
Data e hora: 
05/07/2019 - 14:00 até 17:00

 

Bernardo Ostrovski        

Doutorado - Não é só um jogo: futebol como canal para a violência

Orientador: Prof. Dr. Raphael Bottura Corbi

Comissão: Profs. Drs. Luis Eduardo Negrão Meloni, Pedro Henrique Thibes Forquesato e Marislei Nishijima                            

Local: Sala 217, FEA-5

Resumo*

Este trabalho estuda o impacto de choques emocionais induzidos por resultados de jogos de futebol entre 2006 e 2016 no Brasil no comportamento violento dos indivíduos. Assume-se que o risco de violência pode ser modelado como função dos resultados das partidas. A hipótese chave é de que condicionando pelas probabilidades de vitória atribuídas aos times antes dos jogos, dadas pelos mercados de apostas, os resultados das partidas podem ser interpretados como aleatórios. Utiliza-se o fato de que torcidas de times de futebol do Brasil estão bem espalhadas ao longo dos municípios do país (e não apenas restritas ao estado de origem do time) para captar a proporção de pessoas atingidas por choques emocionais causados por partidas de futebol em determinado dia. O choque emocional é construído pela diferença entre a proporção de pessoas no município atingidas por choques positivos e a proporção atingida por choques negativos. Considera-se um choque o resultado da partida que foi muito diferente do previsto pelo mercado de apostas. O resultado encontrado indica que cada ponto percentual a mais no número de pessoas recebendo um choque negativo em determinado município eleva o número esperado de mortes por agressão em 7.6%. A análise extensiva do modelo indica que o efeito é mais intenso para óbitos masculinos, principalmente àqueles ocorridos na rua. O número de mortes femininas ocorridas em casa aumenta de forma significante diante de choques negativos.

*Resumo fornecido pelo autor

Departamento:

Voltar para a página de eventos