Disciplinas

Inteligência Competitiva e Análise de Informação Estratégica


Disciplina: EAD5939-5

Área de Concentração: 12139

Número de Créditos: 8

Carga do curso:

Teórico
(Por semana)
Prática
(Por semana)
Estudos
(Por semana)
DuraçãoTotal
42215120
Objetivos:
Inteligência de Negócios – Prof. Sergio Assis
• Desenvolver uma visão estratégica sobre a organização
• Apresentar e discutir ferramentas que ajudam a entendê-la em seu mercado
• Entender as características do ambiente analítico e de como fazer seu planejamento
• Discutir como descobrir o que os executivos necessitam para seus processos decisórios e como tornar estas necessidades palpáveis
• Apresentar as técnicas que permitem modelar estas informações, sob o ponto de vista lógico
• Apresentar as técnicas para captura e exploração de dados

Inteligência Competitiva – Prof. Fernando de Almeida
• Discutir conceitos e práticas de Inteligência Competitiva nas Empresas – O aspecto antecipativo da inteligência competitiva
• Discutir diferentes abordagens para implementação de IC nas empresas
• Discutir o conceito de sinais fracos e seu tratamento de forma a antecipar movimentos competitivos
• Discutir sobre etapas do ciclo de Inteligência Competitiva segundo Jan Hering e segundo Humbert Lesca
• Expor pesquisa sobre Motivação para a coleta de informação e compartilhamento de conhecimento
• Entender o processo de criação coletiva de sentido
• Debater sobre as dificuldades de mensuração de resultados de processos de inteligência e de métricas
• Discutir sobre as fontes de informação para geração de inteligência competitiva

Justificativa:
As organizações atualmente enfrentam um ambiente extremamente competitivo. Como resposta a estas pressões competitivas, seus gestores precisam adequar seus modelos de decisão e de acompanhamento das ações gerenciais de forma a se concentrar no entendimento das motivações e do comportamento do mercado, no rastreamento das necessidades e percepções dos clientes, bem como na adaptação ágil e oportuna dos produtos e serviços oferecidos pela empresa. O paradigma atual tem como base a gestão orientada a resultados.

Esta gestão e as tarefas estratégicas que a suportam requerem a análise de inúmeras informações relativas aos fatores críticos de sucesso do negócio e à utilização dos recursos da organização. Portanto, o estabelecimento de uma plataforma de informações confiáveis e disponíveis quando requeridas, figura hoje como tópico prioritário na agenda de praticamente todas as organizações. Esta plataforma informacional deve propiciar apoio aos gestores para a condução eficaz dos processos de negócio e para o acompanhamento das ações competitivas, fornecendo uma clara visão da posição interna e externa da organização, tendências e situações relevantes.
O conteúdo proposto para o curso visa capacitar os alunos a entender e atuar proativamente neste ambiente.

Conteúdo:
1, O ambiente de inteligência de negócios
2. Entendendo as organizações
3. Fases e etapas de um projeto de inteligência de negócios
4. Planejamento estratégico para os projetos de de inteligência de negócios
5. Requisitos de informação – métricas e indicadores
6. Modelagem dimensional
7. Obtenção e exploração de dados

CONTEÚDO (EMENTA): Referente a parte de Inteligência Competitiva
1. Inteligência Competitiva – Abordagens e definições
2. O conceito de Environmental Scanning
3. Sinais fracos e Monitoramento Estratégico
4. Identificação de alvo de monitoramento
5. Motivação para compartilhamento do conhecimento
6. Criação Coletiva de sentido
7. Inteligência Tecnológica
8. Mensuração de resultados do processo de inteligência
9. Fatores de Sucesso e de Fracasso do processo de IC
10. Inteligência Coletiva
11. Inteligência Competitiva e Criação de Conhecimento
12. Inteligência Competitiva e Fontes de Informação

Avaliation methods:
Trabalho prático (artigo em nível de SEMEAD) - 3 pts
Entrega de resumo de artigos a cada aula – 3 pts
Prova final – 4 pts

Notas:

Bibliografia:
Business Intelligence Roadmap –Moss e Atre - Addison Wesley 2003
Bill Imon – Building the Datawarehouse- Wiley 2003 – terceira edição
Ralph Kimball – The DW Toolkit – Wiley 2002 – segunda edição
A estratégia em Ação – Kaplan e Norton – Editora Campus
Competência analítica – J. Kugler

Lesca e Almeida, Administração estratégica da informação, Rausp, 1994
Tipos de informação (Lesca e Lesca 1995)

PetrisoR, I. Strain, N.A. Approaches on Competitive Intelligence. The USV Annals of Economics and Public Administration, v. 13, n. 1(17), p.100-109, 2013.
NIKOLAOS, T.; EVANGELIA, F. Competitive intelligence: concept, context and a case of its application, Science Journal of Business Management, vol. 2, p.1–15, 2012.
Chun Choo. Environmental scanning as information seeking and organizational learning, special issue of Information Research 7, n.1, 2001 (2)
PELLISSIER, R.; NENZHELELE, E.T. Toward a universal competitive intelligence process model. South African Journal of Information Management, v15, n.2, 1-7, 2013.
Day and Schoemaker. Scanning the Periphery, HBR, November 2005, p. 135-148 (3)
Sylvie Blanco, Marie-Laurence Caron-Fasan and Humbert Lesca , Developing Capabilities to Create CollectiveIntelligence within Organizations.Journal of Competitive Intelligence and Management, vol. 1, n.1, 2003, p.80-92 -
Choo, Environmental Scanning as Strategic Organizational Learning in Information Management for Intelligent Organization, NJ: Information Today Inc, 2001, p. 83-120. (4)
Choo, Environmental Scanning in Action in Information Management for Intelligent Organization, NJ: Information Today Inc, 2001, p. 121-154 (5a)
Choo, Learning to be Intelligent, in Information Management for Intelligent Organization , NJ: Information Today Inc, 2001, p. 223-256 (5b)

Igor Ansoff, Managing Strategic Surprise by Response to Weak Signals, California Management Review, winter 1975, p.21-33.
Sylvie BLANCO and Humbert LESCA, BUSINESS INTELLIGENCE : INTEGRATING KNOWLEDGE INTO THE SELECTION OF EARLY WARNING SIGNALS, 1998 (9) -
Rossel, P. Early detection, warnings, weak signals and seeds of change: A turbulent domain of futures studies, Futures 44 (2012) 229–239 .
KITs – Herring, Jan. Tópicos Fundamentais de inteligência: processo para definição de necessidades de inteligência, IC na prática, Campus, 2002,p.274-291 (8a)
KITS (Key Intelligence Topics) in Competitive Intelligence In Competitive intelligence and global business London: Praeger, 2005, p.17-30. (8b)
Lesca - La méthode Lescanning - Alvo de monitoramento - 2003
De Almeida, F.C. MOTIVAÇÃO NAS REDES DE COLETA EM PROCESSOS DE INTELIGENCIA COMPETITIVA. 10º Congresso Brasileiro de Sistemas, 28 a 30 de outubro, Ribeirão Preto, 2014.
BOCK, G.-W. et alii Behavioral intention formation in knowledge sharing: Examining the roles of extrinsic motivators, social-psychological forces, and organizational climate. MIS Quarterly, v. 29, n. 1, p. 87-111, Mar. 2005.
Carl Weick. Cap1. The Nature of Sens Making in Sens Making in Organizations, p. 1-16 (16)
LESCA, H.; LESCA, N. Weak Signals for Strategic Intelligence. Hoboken: John Wiley & Sons, 2011.
Thomas, James B; Clark, Shawn M; Gioia, Dennis A Strategic sensemaking and organizational performance: Linkages among scanning. Academy of Management Journal; Apr 1993; 36, 2;p. 239-270.
Eckhard Lichtenthaler - Third generation management of technology intelligence processes, R&D Management 33, 4, 2003
Rau, D.; Haerem, T. Applying an organizational learning perspective to new technology deployment by technological gatekeepers: A theoretical model and key issues for future research. Information System Front, vol. 12, p. 287-297, 2010.
Blenkhorn, D. e Fleisher, C. - Performance assesment in competitive inteligence: An exploration, synthesis and research agenda. Journal of Competitive Intelligence and Management, vol 4n ,.2 2007. (6)
Lönnqvist, A et. al - The measurement of business intelligence. Information Systems Management, Winter, v.23,n.1, 2006, p.32-40.

Lesca, N. e Caron-Fasan, M.L. Strategic scanning project failure and and abandonment factors: lessons learned - European Journal of Information Systems (2008), n.17, p.371-386.
Lesca, N. e Caron-Fasan, M.L. Facteur d’échec et d’abandon d’un projet de veille stratégique: retours d’expérience. -
Pierre Levy – Inteligência Coletiva, Edições Loyola – Introdução e Capítulos de 1 a 5
André Boder. Collective Intelligence: A keystone in knowledge management, Journal of Knowledge Management, p. 81-93, 2006
Oubrich, M. Competitive Intelligence and Knowledge Creation - Outward insights from an empirical survey. Journal of Intelligence Studies in Business n. 1, p.97-106, 2011.
Thomas, James B; Clark, Shawn M; Gioia, Dennis A Strategic sensemaking and organizational performance: Linkages among scanning. Academy of Management Journal; Apr 1993; 36, 2; pg. 239
Gillad, B. The future of Competitive Intelligence: Contents for the Professional Soul. Competitive intelligence, vol 11, n.5, sept-oct, p.21-25, 2008.
Katja Rajaniemi. Internet based scanning of competitive environment. Benchmarking. Bradford: 2007. Vol. 14, Iss. 4; p. 465-481
Kristina Dervojeda, Diederik Verzijl, Fabian Nagtegaal, Mark Lengton & Elco Rouwmaat, PwC Netherlands. Big Data - Artificial Intelligence, 2013