Disciplinas

Arquiteturas Organizacionais, Inovação e Internacionalização


Disciplina: EAD5806-7

Área de Concentração: 12139

Número de Créditos: 8

Carga do curso:

Teórico
(Por semana)
Prática
(Por semana)
Estudos
(Por semana)
DuraçãoTotal
42215120
Objetivos:
1. Mostrar a importância da estrutura organizacional para a competitividade da empresa, enfatizando internacionalização, interface com a estratégia e com a inovação;
2. Oferecer oportunidade para os alunos aplicarem os conceitos a casos reais;
3. Desenvolver nos alunos conhecimentos e habilidades para avaliar uma estrutura e propor aprimoramentos;
4. Mostrar os vários modelos de estrutura organizacional que favorecem a inovação na empresa, propostos pelas várias correntes;
5. Mostrar como esses modelos estão sendo aplicados pelas organizações e suas instituições. Palestrantes discutirão a estratégia estrutura de empresas como EMBRAER, NATURA, IBM, GOOGLE, SEMCO, P&G, 3M e outras
6. Mostrar as relações entre Estrutura Organizacional, Estratégia, Processos, Comportamento e Cultura, enfocando a dinâmica da internacionalização.

Justificativa:
A estratégia define as grandes linhas de ação a serem seguidas para a viabilização dos objetivos da organização. A estrutura agrupa os recursos humanos e materiais em unidades, definindo processos de decisão, viabilizando o processo gerencial, estabelecendo relações horizontais e diagonais para integrar essas unidades, possibilitando responder ás necessidades dos clientes com maior rapidez, menor custo e elevado padrão de qualidade. Uma estrutura adequada é essencial para uma empresa conseguir inovar em produtos, processos e em modelos de gestão. A elevada taxa de mudanças na estrutura das empresas reflete uma necessidade de adaptação ás mudanças no ambiente, mas também decorre de procedimentos intuitivos e mal compreendidos. Com o crescimento e a internacionalização, as empresas estão procurando formas estruturais que possibilitem lidar ao mesmo tempo com mercados diferentes, clientes de várias categorias, produtos e serviços cada vez mais diversificados. Ao mesmo tempo, esses componentes têm que estar integrados às áreas funcionais: Finanças, Marketing, Gestão de Pessoas. Operações e Pesquisa e Desenvolvimento. Ao mesmo tempo a estrutura deve oferecer condições para que a empresa possa inovar em produtos, processos e em modelos de negócio de forma competitiva.

Conteúdo:
1ª Apresentação do curso, expectativas, perfil dos alunos, Componentes e condicionantes da estrutura. Interface estratégia- estrutura – processos – cultura e inovação.
2ª Caso IBM. Estratégia Competitiva e formas organizacionais para viabilizar a estratégia. Definição de Objetivos
3ª Mudanças organizacionais na IBM e a retomada do seu poder competitivo
4ª Departamentalização – fatores de influência para a\ escolha da forma mais adequada – Caso Xerox Estrutura e cultura Inovação e competitividade, exemplos de casos de sucesso e fracasso.
5ª Centralização e descentralização da inovação– Caso Montadora VB – fabricante de caminhões. Autoridade e Estrutura, Rompendo barreiras na estrutura e criando um ambiente favorável à inovação.
6ª Como delinear e implementar Estruturas para facilitar a Inovação. Caso VB - Montadora de Caminhões
7ª Gerenciamento dos conflitos na estrutura organizacional e internacionalização
8ª Arquiteturas organizacionais com base em processos. Reengenharia – acertos e erros.
9ª Fator Humano na Estrutura, trabalho em equipe e integração na estrutura, mostrando seu impacto sobre a inovação.
10ª Diagnóstico e Delineamento da Estrutura, Redes Sociais e inovação
11ª Estrutura e Internacionalização. Organizando o desenvolvimento de projetos de alta complexidade - caso EMBRAER. Inovação com parcerias internacionais
12ª Modelos de Negócio, Modelos de Gestão e arquiteturas organizacionais. Formas organizacionais e cultura para inovação - Os Casos GOOGLE e 3M
13ª Estrutura em células gerenciais – Casos e Johnson & Johnson
14ª Gestão eficaz das mudanças – como mapear e enfrentar resistências. A dinâmica do poder: como mapear e gerenciar. Casos Emenge e Nissan
15ª prova

Obs. Quatro palestrantes serão convidados para trazer a realidade das suas empresas. Em função das suas agendas, ajustes poderão ser realizados na tabela acima.

Avaliation methods:
a) Elaboração de um trabalho de campo, que deverá corresponder a um artigo que atenda os requisitos de congressos nacionais/internacionais, tipo EVENTOS ANPAD

Notas:
O programa será desenvolvido em forma de exposição pelos docentes, palestras de especialistas convidados, exercícios e trabalhos práticos que facilitem a aprendizagem, dentro de um processo ativo e centrado no aluno.

a) A preparação da aula por parte do professor, conteúdo e a dinâmica, é requisito inicial e essencial para um bom aproveitamento;
b) A participação contínua e a dedicação do aluno, tanto intra como extra classe, é componente fundamental dos métodos de ensino utilizados.
c) Além disso, um trabalho prático, com base em dados de campo, será solicitado dos alunos,

Espera-se, finalmente, como parte do processo, que os alunos efetuem pesquisas bibliográficas adicionais e discussões com executivos para complementarem a aprendizagem, assim como solicitem a colaboração do professor fora das aulas sobre temas do programa que não estejam claros ou sobre os quais tenham particular interesse.

Bibliografia:
1. ALBERS, S.; WOHLGEZOGEN, F.; ZAJAC, E. Strategic Alliance Structures: An Organization Design Perspective, Journal of Management, Vol.42. Edition: 3 Pages: 582-614, March, 2016

2. ASHKENAS, R.; ULRICH, D.; JICK, T. And KERR, S. The Boundaryless Organization – breaking the chains of organizational structure. Jossey Bass, California, 2002.

3. BOUQUET, C.; BIRKKINSHAW, J.; BARSOUX, J. Fighting the "Headquarters Knows Best" Syndrome, MIT Sloan Management Review, Vol. 57, Issue: 2, 2016

4. CACKOWSKI, David; NAJDAWI, Mohammad K.; CHUNG, Q.B. Object analysis in organizational designing: A solution for matrix organizations, Project Management Journal, Sep 2000, Vol.31, Issue 3, pp.44-51

5. D’ALVARO, L. and HIDALGO, A. Innovation Management Techniques and development degree of innovation process in service organizations. R&D Management 42, 1, 2012

6. KARIM, Samina; CARROL, Timothy N.; LONG, Chris P. Delaying Change: examining how industry and managerial turbulence impact structural realignment, Academy of Management Journal, Vol. 59 Issue: 3 Pages: 791-817, June 2016

7. KATZENBACH, J., ILONA, STEFFEN, I. and KRONLEY, Yonley, C. Cultural Change that Sticks: Start with what’s already working. Harvard Business Review, July-August, 2012.

8. LAWRENCE, T., DYCK, B. MAITLIS, S. and MAUWS, M. The Underlying Structure
of Continuous Change, MIT Sloan Management Review, Summer, 2006, Vol. 47, No. 4

9. NADLER, D. and TUSHMAN, M. Competing by Design. Oxford University Press, 1997.

10. MALNIGHT, T. The transition from decentralized to network-based MNC structures: An evolutionary perspective. Journal of International Business Studies; First Quarter 1996; 27, 1; ABI/INFORM Complete, pg. 43.

11. NICHOLSON, G. How 3M manages its global laboratory network, Research Technology Management; Jul/Aug 1994; 37, 4; pg. 21.

12. SCHWARTZz, H. and DAVIS, S.M., 1981. Matching Corporate Culture and Business Strategy. Organizational Dynamics, 10(1), pp.30–48.


13. SIMONS, Robert. Levers of Organization Design, Harvard Business School Press, Boston, Mass. 2005

14. TUSHMAN, M.L. and O’Reilly, C., 1996. Ambidextrous organizations: Managing evolutionary and revolutionary change. California Management Review, 38(4), p.8.

15. VASCONCELLOS, Eduardo e HEMSLEY, James. “Estrutura das Organizações” Ed. Pioneira, (3ª edição) 2002.

16. WORLEY, C. G. and LAWLER III, E. Designing Organizations That Are Built to Change, MIT Sloan Management Review, Fall, 2 0 0 6, Vol.48 No. 1

17. ZILBER, Silvia Novaes; VASCONCELLOS, Eduardo. The Adoption of e-business from a strategic perspective: the case of the Celta at General Motors Brazil. International Journal of Automotive Technology Management, Turim, v. 5, n. 4, p. 411-429, 2005.

18. PAIVA, Aerton. Organizações Empresariais Celulares Makron Books1999

19. VASCONCELLOS, Eduardo; GUEDES, Liliana V. ; FRANCO, R. ; MAEDA, P. Y. ; GUEDES, Luís.F.A. ; BRUNO, Marcos A C . Innovation in Services: The Case of Fleury, a Diagnostic Medical Center.. In: E. Baglieri and U. Karmarkar. (Org.). Managing Consumer Services. 1ed.Szwitzerland: Springer International Publishing, 2014, v. , p. 211-232.

Observações

a) Outros artigos (resultados de exercícios e de estudos de caso realizados em grupo) serão distribuídos após a realização dos mesmos.

b) A lista é maior do que efetivamente será usado na disciplina com a finalidade de subsidiar alunos que estão fazendo pesquisa na área. A bibliografia adicional, abaixo, tem o mesmo objetivo.

BIBLIOGRAFIA ADICIONAL

BENNIS, Warren, “Organização em Mudança” Ed. Atlas, 1976
BERNASCO, Wilma; NEDERHOF, Petra C. de Weerd; TILLEMA, Harry; BOER, Harry. Balanced matrix structure and new product development process at Texas instruments
materials and controls division, R&D Management, Oxford, Apr 1999, Vol. 29, Issue 2,pp. 121-131.
CHRISTENSEN, C. and RAYNOR, M. The Innovator’s Solution. Harvard Business School Press. 2003
DUNN, Steven C. Motivation by project and functional managers in matrix organizations, Engineering Management Journal, Rolla, Jun 2001, Vol.13, Issue 2, pp.3-9.
FRITZ, Robert, “Estrutura e Comportamento Organizacional”, Ed. Pioneira, 1997
FRITZ, Robert, Corporate Tides: The Inescapable Laws of Organizational Structure, Berret-Koehler Publishers, April 1996.
GALBRAITH, Jay R. Designing Organizations: An Executive Guide to Strategy, Structure, and Process, Jossey-Bass Inc., Publishers, 2002
GALBRAITH, Jay R.; LAWLER III, Edward E. & Associados. Organizando para Competir no Futuro, São Paulo: Makron Books, 1995.
GALBRAITH, Jay. Designing the Global Corporation, Jossey-Bass Inc., California, 2000
GIBSON, James e outros. “Organização” Ed. Atlas, 1981
GIBSON, James L.; IVANCEVICH, John M. Organizations: Behavior, Structure, Processes, McGraw-Hill Higher Education, July 1999.
GHOSHAL, S. and WESTNEY, E. Organization Theory and the Multinational Corporat5ion, Palgrave Mc Millan, 2005.
HAMMER, M. and CHAMPY, J. Reengineering the corporation; Harper Business, NY, 1994.
HAMMER, Michael, Beyond Reengineering, Harper Business, 1996
LASLO, Zohar; GOLDBERG, Albert I. Matrix structures and performance: The search for optimal adjustment to organizational objectives, IEEE Transactions on Engineering Management, New York, May 2001, Vol. 48, Issue 2, pp. 144-156.
LORD, M.; DEBETHIZY, D.; WAGER, J. Innovation that Fits, Prentice Hall. New Jersey, 2005.
LOUFFAT, Enrique. Estructura Organizacional en Red y sus negociaciones en el contexto de alianzas estratégicas
MAHLER, Walter. Structure Power and Results – how to organize your company for optimum performance, Dow Jones-Irwin, Inc. Illinois, 1975.
Mauborgne, R. Kim, W. A estratégia do Oceano Azul, Editora Campus, Rio De Janeiro, 2005.
MINTZBERG, Henry; Criando Organizações Eficazes; Editora Atlas, 1995
MINTZBERG, Henry; HEYDEN, Ludo Van der. Organigraphs: Drawing how companies really work, Harvard Business Review, Boston, Sep/Oct 1999, Vol. 77, Issue 5, pp. 87-94.
NADDLER, D. and TUSHMANN, M., Competing by Design – the power of organization architecture, Oxford University Press, NY, 1997
NEWMAN, Derek. Organization Design – an analytical approach to structuring of organizations, Edward Arnold Ltd. London, 1973
PETERS, Tom, “Liberation Management”, Pan Books, Londres, 1993
SEIFFERT, p. e Costa, j. Estruturação Organizacional. Editora Atlas, 2007.
SIMONS, R. Levers of Organization Design. Harvard Business School Press, 2005
VASCONCELLOS, Eduardo. “Centralização x Descentralização – uma aplicação para laboratórios de P&D, Revista de Administração” RAUSP.
VASCONCELLOS, Eduardo. “ A Model for a Better Understanding of the Matrix Structure”, IEEE, Transaction in Engineering Management, Engineering Management Society, USA, v. 26, p. 56-64, 1979.
ZELL, Deone. Changing by Design – organization innovation at HP, Cornell University Press, 1997