Mestrado - Nível de prontidão da tecnologia e grau de abertura da inovação em projetos de P&D&I: modelo conceitual e aplicação ao caso de uma empresa do setor de óleo e gás

Tipo de evento: 
Defesa
Data e hora: 
13/11/2019 - 13:45 até 16:45

Paul Marius Andersen

Mestrado - Nível de prontidão da tecnologia e grau de abertura da inovação em projetos de P&D&I: modelo conceitual e aplicação ao caso de uma empresa do setor de óleo e gás

Orientador: Prof. Dr. Eduardo Pinheiro Gondim de Vasconcellos

Comissão: Profs. Drs. Fábio Lotti Oliva, Eduardo Armando e Carlos Alberto Arruda de Oliveira

Local: Sala 217, FEA-5

Resumo*

Empresas multinacionais de destaque, provenientes de países emergentes, têm utilizado estratégias de gestão de projetos de pesquisa e desenvolvimento (P&D) tecnológico para desenvolver produtos e serviços de alto nível. A inovação aberta que tem como premissa a construção de parcerias para explorar novas oportunidades, capitalizando as possibilidades disponíveis pelo avanço da base de conhecimento da empresa, é um importante instrumento para o aumento da sua vantagem competitiva por meio da criação de valor ao negócio. Contudo, a possibilidade de uma empresa obter vantagens competitivas no curto prazo depende fortemente do nível de maturidade das suas tecnologias. A competitividade a longo prazo, por sua vez, tem relação com o investimento em projetos de pesquisa & desenvolvimento (P&D) que darão base a inovações futuras. A prontidão da tecnologia de uma empresa exerce influência na sua estratégia de P&D tecnológico e, por sua vez, no portfólio de projetos em andamento. Esta prontidão está relacionada ao quanto o resultado do projeto está próximo da aplicação ou ao quanto ele é um estudo mais fundamental, distante do uso. Um importante indicador de prontidão tecnológica desenvolvido pela NASA – o Technology Readiness Level (TRL) - tem grande relevância na avaliação dos riscos dos projetos de desenvolvimento de produtos e serviços tornou-se uma referência para classificar carteiras de projetos de P&D. O caso selecionado foi o do LAB O&G (Centro de P&D da EMPRESA do setor de óleo e gás (O&G)), que desenvolve projetos com diferentes níveis de prontidão e graus de inovação aberta. Objetivou-se, por meio de uma abordagem quali-quanti, usar essas variáveis para reflexões sobre as dinâmicas e as práticas entre os níveis de prontidão tecnológica e os graus de abertura da inovação em projetos de pesquisa e desenvolvimento tecnológico. Com isso foi possível identificar que na EMPRESA O&G os projetos de P&D com TRLs mais altos ensejam maior cooperação tanto de empresas fornecedoras/parceiras, quanto de universidades e em TRLs mais baixos as universidades têm o protagonismo.
Nesse trabalho foi possível aumentar a compreensão sobre o papel de cada uma dessas variáveis no processo de inovação e de contribuir com a literatura de inovação aberta por meio da pesquisa no nível dos projetos.

*Resumo fornecido pelo autor

Departamento:

Voltar para a página de eventos