Mestrado - Ciclos de longo prazo na bolsa brasileira: algumas evidências empíricas

Tipo de evento: 
Defesa
Data e hora: 
18/05/2020 - 14:00 até 17:00

 

Marina Arantes Braga Prado

Mestrado - Ciclos de longo prazo na bolsa brasileira: algumas evidências empíricas

Orientador: Prof. Dr. José Roberto Ferreira Savóia

Comissão:  Profs. Drs. Eduardo Augusto do Rosário Contani, José Roberto Securato e Michele Nascimento Jucá

Link de transmissão Youtube: https://youtu.be/ELTTmeTFjrY

Resumo*

É possível verificar empiricamente a ocorrência de ciclos de longo prazo nos mercados de ações. Este estudo tem como objetivo identificar e analisar os ciclos de alta e baixa da bolsa de valores brasileira no período de 1967 a 2017. Foram analisados os retornos e identificadas as estratégias de alocação que melhor respondem à tendência dos ciclos. Para a análise dos ciclos, utilizamos uma amostra intencional agrupada de acordo com três critérios diferentes, a saber: 1) value e growth e 2) small cap; e 3) uma amostra de diferentes alocações entre renda fixa e variável, juntamente com os ciclos. Com relação à metodologia, adotamos a abordagem de Albuquerque, Eichenbaum, Papanikolaou, & Rebelo (2015) para determinar os ciclos. Para a identificação dos diferentes grupos de ações, utilizou-se a metodologias de Nefin (2017). Os resultados mostram a existência de quatro ciclos de longo prazo na bolsa de valores brasileira de 1967 a 2017. Eles duram em média 12 anos e estão altamente relacionados aos fundamentos econômicos e às mudanças políticas no país.
Por um lado, não foi possível confirmar estatisticamente a existência do growth e do small cap premium, por outro lado, value premium existe e é significante justamente porque essas ações tem rentabilidade superior a do mercado durante os ciclos de alta. Além disso, foi possível estabelecer estratégias de investimento, alocando pesos diferentes em renda fixa e renda variável durante as diferentes etapas dos ciclos, gerando excesso de retorno. As principais contribuições do artigo são: 1) identificamos a existência de ciclos de longo prazo no mercado de ações brasileiro; 2) observamos o prêmio de valor apenas durante os ciclos de alta; e 3) mostramos que é possível estabelecer estratégias de alocação com base em ciclos que geram retornos excedentes.

*Resumo fornecido pelo autor

Departamento:

Voltar para a página de eventos